Fique por dentro

Postado em 01 de Agosto de 2014 às 17h26

Uso de algumas pílulas anticoncepcionais pode aumentar o risco de câncer de mama

Nativa Farmácia e Manipulação Novo Conteúdo 01 Uma pesquisa realizada pelo Cancer Research Center em Seattle aponta que mulheres que usam pílulas anticoncepcionais com alta dosagem de estrogênio podem correm maior risco de...

Uma pesquisa realizada pelo Cancer Research Center em Seattle aponta que mulheres que usam pílulas anticoncepcionais com alta dosagem de estrogênio podem correm maior risco de desenvolver câncer de mama, enquanto usuárias de pílulas com baixa dosagem ou outras formulações não apresentam o mesmo risco.

Basicamente, essas pílulas são classificadas conforme a dose do análogo do estrogênio, o etinilestradiol. As de baixa dose contêm 0,02 - 0,03 mg (20 a 30 mcg) de etinilestradiol e as de alta dose possuem 0,05 mg (50 mcg) de etinilestradiol.

As pílulas anticoncepcionais que contêm estrógeno em alta dose aumentam risco de câncer de mama em 2,7 vezes, e aquelas contendo estrogênio em dose moderada aumentaram em 1,6 vezes o risco. Comprimidos contendo diacetato de etinodiol aumentou 2,6 vezes o risco, e comprimidos de combinação trifásica de uma média de 0,75 mg de noretindrona aumentaram 3,1 vezes o risco. As pílulas anticoncepcionais que contêm estrógeno em baixa dose não aumentam o risco de câncer de mama.

Os responsáveis pelo estudo, no entanto, afirmam que é preciso analisar os resultados com cautela e ainda é necessário confirmar antes de qualquer iniciativa, pois o câncer de mama em mulheres jovens é raro e há inúmeros benefícios à saúde associados ao uso de contraceptivos orais que devem ser considerados.

Fonte: e-pharma

Veja também

Campanha Outubro Rosa chama atenção para a prevenção contra o câncer de mama06/10/15Doença responde por cerca de 60 mil ocorrências por ano Com taxas alarmantes de incidência, o câncer de mama é o tumor maligno mais comum entre as mulheres, com exceção dos tumores de pele do tipo não melanoma. Responde por cerca de 60 mil ocorrências por ano. Em alguns casos, essa doença heterogênea apresenta comportamento agressivo quando descoberta, porém pode ser considerada silenciosa do ponto de......
Música reduz a dor durante o trabalho de parto, diz estudo20/11/14ouvir música durante o trabalho de parto tem um impacto positivo sobre a dor O controle e a prevenção da dor do parto são as principais preocupações dos médicos e suas pacientes. O objetivo de um recente estudo publicado em revista especializada de Ginecologia foi o de avaliar o efeito da......
Deputados liberam comercialização de inibidores de apetite09/04/14A Câmara aprovou projeto que suspende a decisão da Anvisa A Câmara dos Deputados aprovou hoje (8) Projeto de Decreto Legislativo 1.123/13, que susta decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que proibiu, em 2011, a produção e a......

Voltar para Blog