Fique por dentro

Postado em 22 de Julho de 2014 às 09h16

Anvisa reduz preço de medicamentos

governo retira pis/cofins de medicamentos, consumidor JÁ sente a diferença

Nativa Farmácia e Manipulação governo retira pis/cofins de medicamentos, consumidor JÁ sente a diferença Nesta segunda, Anvisa reduziu preço máximo de mais 174 medicamentos. Isenção de PIS/Cofins diminui...

Nesta segunda, Anvisa reduziu preço máximo de mais 174 medicamentos.
Isenção de PIS/Cofins diminui preços em 12%, em média.

A lista de medicamentos com desconto por conta da isenção de imposto PIS/Cofins passa a ter 1.645 produtos a partir desta segunda-feira (21), com a atualização da lista de preços da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A agência reduziu o preço máximo de mais 174 medicamentos, que passam a ter desconto médio de 12% nas farmácias por conta da retirada dos impostos. Foram incluídos, por exemplo, remédios para disfunção erétil, prevenção de AVC e infarto, tratamento de depressão, indução de ovulação, anti-inflamatórios e vacina contra gripe. Veja a lista dos 174 medicamentos incluídos.

A lista geral com os valores de todos os medicamentos que têm os preços controlados (disponível neste link) é atualizada mensalmente e indica os valores máximos que cada produto pode ter para o consumidor.

Já a "lista positiva", que isenta de PIS/Confins algumas substâncias, foi criada em 2001 e desde então é atualizada periodicamente com os que recebem isenção de tributos. A última atualização foi feita em 2007. Essa lista representa 75,4% dos medicamentos comercializados em todo o país, de acordo com o Ministério da Saúde.

Tarja vermelha e preta
Quase todos os medicamentos tarja vermelha e preta estão isentos de PIS/Cofins, o que diminui o custo de remédios usados no tratamento de artrite reumatoide, câncer de mama, leucemia, hepatite C, doença de Gaucher e HIV, entre outros, diz o ministério.

Os critérios estabelecidos pelo ministério e pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) para escolher as substâncias que terão isenção leva em conta "as patologias crônicas e degenerativas; os programas de saúde do governo instituídos por meio de políticas públicas e a essencialidade dos medicamentos para a população".

A CMED é responsável pelo monitoramento dos preços dos remédios e por garantir que as reduções de imposto sejam integralmente refletidas nos preços fixados como teto para os produtos.

FONTE: E-pharma

Veja também

Viagra feminino pode ser aprovado essa semana nos EUA10/06/15 Um novo medicamento que promete combater a falta de apetite sexual das mulheres, e está sendo tratado como o viagra feminino, poderá ser aprovado pelo órgão de regulamentação de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos, a Food and Drug Administration (FDA), ainda nesta semana. Após muitas discussões sexistas, a FDA colocará para......
Reajuste de medicamentos deve ser fixado pelo governo em 12,5%10/03/16Pela primeira vez em mais de 10 anos, o governo deve determinar um reajuste anual de preços acima da inflação. Poderão subir até 12,5% a partir de 31/03. Os medicamentos têm os preços controlados pelo governo, que realiza um reajuste anual com base no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Neste ano, a inflação entre março de 2015 e fevereiro de 2016 foi......
Hidratação com Bepantol03/04/14Dermatologista fala dos benefícios e restrições do uso na pele e cabelo Um produto seguro, de baixo custo, fácil acesso e muitos benefícios, o Bepantol era usado inicialmente como uma pomada para assaduras de bebês, mas acabou se transformando no queridinho das mulheres. Seu uso, na grande maioria das vezes,......

Voltar para Blog