Fique por dentro

Postado em 20 de Novembro de 2014 às 20h14

Música reduz a dor durante o trabalho de parto, diz estudo

ouvir música durante o trabalho de parto tem um impacto positivo sobre a dor

Nativa Farmácia e Manipulação ouvir música durante o trabalho de parto tem um impacto positivo sobre a dor O controle e a prevenção da dor do parto são as principais preocupações dos médicos e suas...

O controle e a prevenção da dor do parto são as principais preocupações dos médicos e suas pacientes. O objetivo de um recente estudo publicado em revista especializada de Ginecologia foi o de avaliar o efeito da música sobre a dor do parto e ansiedade, hemodinâmica materna, parâmetros fetais-neonatais e a exigência de analgesia pós-parto.

No geral, 156 mulheres primíparas que aguardavam para ter um parto vaginal foram recrutadas e designadas aleatoriamente para um grupo de musicoterapia (n = 77) ou um grupo de controle (n = 79). As mulheres do grupo de musicoterapia ouviram música durante o parto. A intensidade da dor e o nível de ansiedade foram avaliadas através de uma escala visual analógica (0-10 cm). Os dois grupos foram comparados em termos de intensidade da dor, nível de ansiedade, hemodinâmica materna, parâmetros fetais-neonatais e a utilização de analgésico no pós-parto.

Verificou-se que as mães do grupo de musicoterapia tiveram um menor nível de dor e ansiedade em comparação com os do grupo de controle, em todas as fases de trabalho de parto.

Foi observada uma diferença significativa entre os dois grupos em termos de hemodinâmica materna e da frequência cardíaca fetal após a intervenção. Ainda, a necessidade do uso de analgésicos no Pós-Parto diminuiu significativamente no grupo da musicoterapia.

Concluindo, ouvir música durante o trabalho de parto tem um impacto positivo sobre a dor do parto e ansiedade, parâmetros materno-fetais e uso de analgésicos.


Fonte: Gynecol Obstet Invest. 2014 Sep 16. [Epub ahead of print].

Copyright © 2014 Bibliomed, Inc.

Veja também

Como detectar uma gripe comum e a H1N113/05/16Com sintomas diferentes é possível saber por qual vírus o paciente foi infectado Em meio a um surto de H1N1 no País, é importante estar atento às diferenças entre a doença e uma gripe comum. O alerta é da médica infectologista e diretoria da Atenção Especializada da Prefeitura de Itanhaém, Dra. Iloma Girrulat Bohen. “Na gripe comum, a pessoa tem coriza, dor de garganta, já na Influenza A/H1N1 a febre é alta......
A pílula da inteligência24/11/14Já existem medicamentos capazes de turbinar o cérebro - para você pensar, estudar e trabalhar mais e melhor. Mas até que ponto é seguro tomá-los? "Eu tinha que me preparar para um trabalho e resolvi tomar um comprimido. O resultado foi incrível. Consegui estudar 12 horas sem parar." "Era uma época agitada na minha vida. Eu fazia faculdade de direito, trabalhava num......

Voltar para Blog