Fique por dentro

Postado em 02 de Setembro de 2014 às 08h45

Justiça manda liberar remédio com componente da maconha

Esta é a primeira vez que a Justiça determina que a Anvisa libere um remédio a base de THC, uma substância proibida no Brasil

Nativa Farmácia e Manipulação Esta é a primeira vez que a Justiça determina que a Anvisa libere um remédio a base de THC, uma substância proibida no Brasil A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou por meio...

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou por meio da assessoria de imprensa não ter sido notificada sobre a decisão da Justiça de Minas que determinava a liberação de medicamento que leva em sua fórmula o principal componente da maconha, o Tetraidrocanabinol (THC). A agencia afirma que quando for oficialmente comunicada encaminhará uma notificação para a liberação do produto importado pela paciente.

Esta é a primeira vez que a Justiça determina que a Anvisa libere um remédio a base de THC, uma substância proibida no Brasil. Este ano, decisões semelhantes foram proferidas pela Justiça para permitir a liberação do canabidiol, outra substância derivada da maconha, que igualmente figura na lista de proscritos, mas sem efeito psicoativo.

Até agora, a Anvisa já autorizou 50 pedidos de importação dos medicamentos a base de canabidiol. As solicitações começaram a ser feitas em abril, quando mães e familiares de crianças que sofrem de crises convulsivas passaram a recorrer ao produto, considerado suplemento em outros países, como alternativa de tratamento. Dos pedidos de canabidiol, dois são fruto de ações judiciais. O remédio com THC, alvo da decisão judicial é o sativex. O medicamento já é registrado em outros países. No Brasil, no entanto, não há pedido para registro.

A Anvisa esclareceu que pacientes com recomendações médicas têm alternativa de encaminhar diretamente para a agência um pedido para liberação de importação de medicamentos que não tem registro no País, sem necessidade de recorrer à Justiça. Para isso, é preciso apresentar um pedido excepcional de importação para uso pessoal. Esse pedido deve vir acompanhado de prescrição médica, laudo e termo de responsabilidade. O prazo médio para análise dos documentos e definição sobre liberação é de uma semana.

FONTE: e-pharma

Veja também

Saiba qual pasta de dente é ideal para cada fase da vida14/05/14Flúor é indicado em todas as idades para evitar cáries, inclusive para crianças istem tantas opções de cremes dentais no mercado que fica cada vez mais complicado escolher a melhor ou a mais apropriada para cada caso e fase da vida. Segundo o cirurgião-dentista, Giuseppe Alexandre Romito, professor de Periodontia, da Universidade de São Paulo (USP), independentemente da idade, a melhor opção é aquela que tem flúor e elementos que combatam......
Deputados liberam comercialização de inibidores de apetite09/04/14A Câmara aprovou projeto que suspende a decisão da Anvisa A Câmara dos Deputados aprovou hoje (8) Projeto de Decreto Legislativo 1.123/13, que susta decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que proibiu, em 2011, a produção e a......
Tomar medicamento vencido faz mal?20/01/16Fabricantes são obrigados a estampar data de validade nas embalagens dos produtos Manter em casa um pequeno estoque de medicamentos e um kit básico para curativos pode fazer toda a diferença em algumas situações. Pode ser útil ter em casa alguns medicamentos considerados de baixo-risco para usar em......

Voltar para Blog