Fique por dentro

Postado em 09 de Abril de 2014 às 08h39

Deputados liberam comercialização de inibidores de apetite

A Câmara aprovou projeto que suspende a decisão da Anvisa

Nativa Farmácia e Manipulação A Câmara aprovou projeto que suspende a decisão da Anvisa A Câmara dos Deputados aprovou hoje (8) Projeto de Decreto Legislativo 1.123/13, que susta decisão da Agência Nacional de Vigilância...

A Câmara dos Deputados aprovou hoje (8) Projeto de Decreto Legislativo 1.123/13, que susta decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que proibiu, em 2011, a produção e a comercialização de remédios inibidores de apetite.

A Resolução 52/11 proíbe a venda dos inibidores de apetite anfepramona, femproporex e mazindol e cria restrições severas à sibutramina. O texto segue agora para o Senado.

A proibição atinge diversos medicamentos usados no tratamento da obesidade. Ao proibir o uso dos medicamentos, a Anvisa argumentou que não foram apresentados estudos clínicos que comprovassem a sua eficácia .

A votação dividiu o plenário. A maioria dos partidos liberou a bancada para a votação. O deputado Henrique Fontana (PT-RS), médico de formação, se posicionou contra a aprovação da proposta. Para Fontana, o Parlamento não tem condições técnicas para tomar tal decisão.

“O Parlamento brasileiro agora vai começar a proibir ou autorizar os uso de medicamentos?”, questionou Fontana. “É óbvio que todos nós queremos que os obesos tenham o tratamento qualificado, mas será que o Parlamento tem condição de fazer este tipo de análise técnica?”.

O autor da proposta, Beto Albuquerque (PSB-RS), que é advogado, argumentou que a medida causou insatisfação entre a classe médica, constituindo-se em um retrocesso ao tratamento dos obesos no país.

“Tiraram a caneta do médico para definir o tipo de tratamento adequado e defendeu a aprovação. A sustação [da resolução] que estamos fazendo aqui é temporária e vai obrigar a um debate técnico sobre a questão”, disse.

fonte: exame.com

Veja também

A pílula da inteligência24/11/14Já existem medicamentos capazes de turbinar o cérebro - para você pensar, estudar e trabalhar mais e melhor. Mas até que ponto é seguro tomá-los? "Eu tinha que me preparar para um trabalho e resolvi tomar um comprimido. O resultado foi incrível. Consegui estudar 12 horas sem parar." "Era uma época agitada na minha vida. Eu fazia faculdade de direito, trabalhava num escritório e ainda estudava para concursos públicos. Comecei a usar um remédio que o neurologista havia receitado para a minha tia. Não......
Remédio vencido pode perder eficácia e até causar doença nos rins18/02/14 Embora os maiores riscos do uso de medicamentos vencidos sejam outros, uma doença rara que afeta os rins, chamada acidose tubular renal foi descoberta como resultado do uso do antibiótico tetraciclina velho o bastante para que se degradasse em......
Shampoo com ou sem sal? Conheça os mitos e verdades deste dilema.17/01/14 O cloreto de sódio – Sodium chloride (NaCl) é utilizado pela indústria cosmética para ajuste da viscosidade de shampoos e sabonetes. O aumento da viscosidade na formulação ocorre ao associar-se o tensoativo......

Voltar para Blog